Está sem tempo de ler? Ouça o artigo no player abaixo.


 

Já não é de hoje que o Spinning vem sendo uma das atividades físicas mais queridas e praticadas nas academias de todo o Brasil. Não por menos, ele é um dos exercícios aeróbicos mais benéficos para o corpo.

Por exigir menos impacto em sua prática, é uma bela opção para quem tem algum problema físico em relação a isso. Ele também pode substituir uma corrida e ser um complemento para a musculação.

O Spinning também é uma das atividades que mais consomem calorias em um curto espaço de tempo. Acaba que com isso, muitas pessoas se sentem receiosas na hora de dar início em suas aulas.

Mas afinal, quem pode fazer Spinning? Este artigo busca explicar sobre o tema e tirar todas as dúvidas de quem está para começar a prática da atividade.

O que é o Spinning

 

É uma modalidade que simula um treinamento de ciclismo. Porém, ela é feita toda em indoor, dentro de um ambiente e com as bicicletas estáticas.

Foi por volta do final dos anos 80 que o sul-africano Jonathan Goldberg criou o Spinning na garagem de sua casa. Ele resolveu criar uma bicicleta que permanece parada após quase sofrer um atropelamento andando pela estrada.

Como já era de seu costume, ele passou a praticar a atividade ouvindo música em alto som. Seus exercícios acabaram se popularizando e em pouco tempo isso virou programa entre seus amigos. E assim ele abriu sua primeira academia.

O grande segredo é que o Spinning consegue simular todas as dificuldades que uma pedalada padrão pode oferecer, como descidas, subidas e alterações na velocidade e carga.

A aula

 

O instrutor ou professor costuma ficar de frente para seus alunos. É ele quem dita o ritmo e intensidade do treinamento que devem ser feitos. Durante a aula, ele vai realizando combinações de exercícios que variam as velocidades, cargas e posições.

Dessa forma, ele garante que todos os estímulos no corpo sejam feitos de forma intensiva. O guidom consegue ser ajustados de acordo com o que o professor pedir, permitindo que as pessoas pedalem em pé e sentadas.

A escolha das músicas durante a aula dá ao aluno uma referência do tipo de terreno a ser simulado naquela hora. Também cabe ao instrutor utilizar bem esta ferramenta para motivar e fidelizar os alunos em aulas futuras.

Quem pode praticar

Em um contexto geral, qualquer pessoa pode pedalar e praticar o Spinning. Ele inclusive, pode ser uma bela alternativa para quem não pode realizar atividades que tenham grande impacto.

Além disso, tem o benefício de que a intensidade pode ser individualizada e adequada para cada aluno. O grande requisito é que a pessoa mostre boas condições de saúde.

Para isso, a orientação é a de sempre. Antes de iniciar qualquer atividade física regular, é de extrema importância fazer uma consulta em um médico.

No caso do Spinning, é preciso ter um cuidado com as articulações, se tratando de joelho e coluna. Ir até um especialista no assunto pode resolver o problema, como ortopedistas.

Não quer dizer que uma pessoa com problema na coluna ou joelho, não pode fazer a atividade. Nesse caso, ela pode sentir dores no começo, mas o próprio exercício fortalece o membro em questão.

De acordo com testes feitos pelo Laboratório de Nutrição e Metabolismo da Escola de Educação Física e Esportes da Universidade de São Paulo, as mulheres conseguem eliminar 570 calorias. Já os homens, podem chegar a perder 870.

Mesmo sendo um exercício bem intenso, o importante é a pessoa não desanimar no começo. É claro que as primeiras aulas vão ser mais desgastantes, mas o condicionamento vem rápido e por ser perfeitamente ajustável, é possível acompanhar as aulas.

Como já dito anteriormente, parte do sucesso de uma aula de Spinning se dá por conta de um bom instrutor ou professor capaz de tirar o máximo de seus alunos.

Na academia Pratique Fitness, existem profissionais capacitados que vão fazer com que os alunos saiam das aulas de Spinning com muito mais saúde e dispostos para dar continuidade na sua rotina.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here